A MÁQUINA DO TEMPO É O MISTÉRIO DE DEUS?

O LIVRINHO DOS SETE TROVÕES

CAPÍTULO 3

APOCALIPSE, ALGUNS ESQUEMAS DE DECODIFICAÇÃO

 

Notifico que o motivo de estar expondo a decodificação do Apocalipse deriva da questão de através do entendimento da máquina do tempo verifiquei que a mesma pode ser o mistério de Deus e em Apocalipse capítulo 10 afirma que o mistério de Deus é revelado aos profetas e no entanto eu não sou profeta pois o mistério não foi revelado e sim descoberto pela misericórdia de Deus.  Então, quem seria eu profeticamente?

 

Citei outrora que tenho o entendimento que a máquina do tempo me proporcionou, o qual o apliquei aos Livros Sagrados e principalmente à Bíblia, daí em Apocalipse capítulo 13, versículo 18 diz:

 

"Aqui está a sabedoria e aquele que tem entendimento, calcule o número da besta, pois é número de homem.  Seu número é 666"

 

Digamos que eu tenha tal entendimento.  Então qual é o resultado do cálculo?

 

6 (seis) é número de homem.

Temos 3 números 6, logo, temos 3 homens que são a iguais!

 

Em Apocalipse 17; 9 à 11,  o anjo diz que a besta é o sétimo e o oitavo rei.  Ambos são a besta que é e não é mas que aparecerá.

Em Apocalipse 11; 14 à 16, é criada a imagem da besta que tem fôlego de vida e fala.  Portanto, não é apenas imagem e sim um homem.  Portanto, a besta são três homens.

 

As 3 pessoas idênticas, são:

1º homem = sétimo rei;

2º homem = oitavo rei;

3º homem = imagem da besta.

 

A MULHER MONTADA NUMA BESTA (Ap. 17:1 à 18)

A mulher "Babilônia" se assenta sob sete montanhas e certamente João "autor do livro de Apocalipse" se referiu à Cidade da Sete Colinas que é Roma e portanto é o Vaticano (todavia várias outras Babilônias existem, existiram e existirão nos mais variados pontos geográficos pois isto também relaciona-se à Operação do Erro descrita pelo Apóstolo Paulo, onde apenas o Espírito poderá nos guiar à verdade, o qual trataremos posteriormente.

O mais interessante da profecia é quando o anjo relata à João que o Vaticano "cristianismo" está montado na besta (isto significa que a besta dirige o cristianismo "apenas católico?") e pede à João que não se espante pois ele "anjo" dirá qual é o mistério que está acontecendo.

 

E diz o anjo:

A besta que viste, era e não é, há de emergir do abismo e caminha para destruição.

 

O que o anjo quis dizer com isso?

 

Nota do autor:  quando iniciei "ainda adolescente" meus estudos na busca da verdade e da justiça, eu não conseguia entender como Deus se manteve tão distante da evolução humana, onde seus principais representantes "teólogos e derivados" lutavam contra toda evolução político-científico "Inquisição e etc" e mesmo a assim, "apesar deles" a humanidade conseguiu tal evolução e quando estivermos no auge de tal evolução que visa a melhoria da sociedade, viria Deus e seus anjos para nos destruir, nos acusando de besta com o seu Apocalipse e isto para mim quando adolescente era o ápice da injustiça.  E com essa postura contestadora, escrevi o seguinte poema para uma moça protestante:

 

ENERGIA DO ANEXO

I Parte:

Tu és energia do espírito anexo.

A estória poética que contém o universo,

Que é composto de cosmos, um completo complexo.

O correto demais, para ser filho do inverso.

 

Esse inverso que digo, é o tido do inferno,

O príncipe da dúvida e o que nos induz à busca,

Pois nos mostra o caminho, para pisar lá na Lua.

Não dá para eu crer, que ciência é a bruxa.

 

Pois é através dela mesma, que eu acredito em Deus.

Na exatidão de seus atos, sincronizados e perfeitos,

Que os milagres havidos, são espécie defeitos,

Pedidos por crentes, alterando o já feito.

 

Mas é a chance que temos de fugir do arbítrio,

Pois nem sempre é possível, apagar os escritos.

Imagine a não vinda do terror anticristo.

O Apocalipse da Bíblia não seria mais visto.

 

Esses lances me lesam e levam à loucura.

Essa ida é a saída para eu entender Escrituras,

Pois só mesmo uma fuga desta minha estrutura,

Para aceitar o arbítrio da Sagrada Leitura.

 

II parte:

Mas você minha linda, energia do anexo,

Inspirou-me a esperança de unir os repletos,

Universo e Cosmos, sendo apenas reflexo,

De um infinito por zero, que é o Deus mais completo.

 

Essa esperança a mim dada, por ti sem saber,

É a suavidade dos gestos, que provém de você,

É a beleza das partes que o seu corpo contém,

És a musa e a arte, é o todo que tens.

 

E por vê-la completa, despertou meu desejo,

De estar em seu plano, para alçar o seu beijo,

Mas na idéia que tens, alcançar-te impossível.

Pois tu seria edifício e eu precipício.

 

Essa distância infinita que te separa de mim.

No real não existe, pois somos parte do fim.

Esse fim por mim dito, é o infinito por zero.

É o Deus mais completo, é a verdade que quero.

 

Então você minha linda, não me vejas visita,

Nem tão pouco aceitante da Sagrada Escrita,

Pois se vou à igreja é para poder por te às vistas,

aguardando a chance de ficar à sós com você.

 

Esse poema é apenas para mostrar como era o meu pensamento antes de descobrir o que considero ser o mistério de Deus e quando descobri o mistério consegui entender que o ápice da evolução da sociedade humana não era uma coisa na qual Deus se ira ao ponto de vir com seus anjos nos destruir gerando o Apocalipse, muito pelo contrário.  Pois entendi que a evolução da sociedade humana significaria para Deus o aparecimento de um Homem Santo capaz de solucionar os problemas do mundo e construir na Terra a Máquina do Tempo e o Reino de Deus que deriva dela, com o respectivo paraíso.  Todavia isto irritaria a uma terceira pessoa denominada de Satanás, pois o Homem Santo da Terra através do conhecimento do mistério de Deus, passaria a adquirir argumentos para desmascarar definitivamente a Satanás.  Motivo pelo qual Satanás seria expulso dos céus e viria a Terra para tentar conquistá-la destruindo o império que Homem Santo teria edificado ou estaria para edificar.

Então, com esta metodologia analítica sobre o livro de Apocalipse, verificasse que Satanás consegue destruir o Homem Santo e levá-lo à morte.  Após isso, que Deus e seus anjos viria para destruir Satanás libertando a Terra do julgo maligno.

É desta forma que passei a entender o Apocalipse

 

Com a consciência desta interpretação, o Deus irracional que eu conhecia quando adolescente, morreu, pois passei imediatamente a ver Deus como a plenitude da Justiça, pois Deus não era inimigo da evolução humana e sim aliado incondicional!!!

 

Pois bem, o quê o anjo quis dizer com aquilo?

A besta que viste, era e não é, há de emergir do abismo e caminha para destruição.

Na minha análise individual concluí o seguinte:

 

A pessoa que todos esperavam como sendo instrumento de satanás, foi aceito pelo cristianismo como santo, pois é isso que o anjo disse quando afirmou que a besta que era, agora já não é mais!!!

A besta que era, no momento que antecede o Apocalipse não é mais besta, este homem é santo?

Ora, se o Vaticano "Cidade das sete colinas" é o representante oficial do cristianismo e tal aceita a besta; não é de total incoerência imaginar que a besta seja santa.  Todavia O vaticano é o Catolicismo e automaticamente os Protestantes repudiariam veementemente esta possibilidade de eles aceirem a besta como santo.  Porém, nada me impede de concluir que o anjo tenha se referido ao cristianismo como um todo e não apenas ao catolicismo.  Mas não me prenderei nesse item no momento.

 

AS SETE CABEÇAS E OS 10 CHIFRES DA BESTA:

No capítulo 17 de Apocalipse, a besta possui sete cabeças e 10 chifres, as 7 cabeças podem ser interpretadas como sendo 7 Impérios Mundiais, onde cinco já caíram (Egito, Assíria, Babilônia, Medo-pérsia, Grécia), um existia no momento em que a profecia do Apocalipse foi feita (sexto império = Império Romano).

O sétimo império ainda não chegou e quando chegar durará pouco.

O oitavo império, procede dos sete e caminha para destruição.

OBS.:  o oitavo império apenas caminha para a morte.

 

O sétimo império terá 10 chifres "10 reis" sendo análogo à profecia de Daniel no relativo à estátua de Nabucodonossor, representando aos 10 dedos dos pés da estátua.  É sabido no meio teológico que esses 10 reinos dominarão a área equivalente ao antigo Império Romano e será o sétimo reino liderado pelo respectivo sétimo rei.

Este sétimo reino durará pouco "conforme está escrito" e logo após ele virá o oitavo reino com o respectivo oitavo rei.

Sabemos que a besta que não é mais "sétimo rei" é um rei de Império Mundial, assim como o oitavo rei também é rei de Império Mundial.

O nascimento de um novo Império Mundial é compreendido como sendo destruidor do império anterior, pois a troca de coroa não significa novo Império Mundial.  Portanto, automaticamente se conclui que o oitavo rei "besta que é e não é" matou o sétimo rei "besta que é e não é", pois se o poder fosse passado pacificamente, não seria oitavo reino e sim continuação do sétimo reino!

 

A IMAGEM DA BESTA e a "besta da terra"(Ap:13;11 à 18):

Uma besta de dois chifres emerge da da terra (besta da terra) e exerce toda autoridade da 1ª besta em sua presença e faz com que a terra e os seus habitantes adorem a primeira besta cuja ferida de mortal foi curada "sétimo rei" e pede para que façam uma imagem à besta, para que não só a imagem falasse como fizesse morrer todo aquele que não a adorasse.

Verificasse que a besta da terra exerce toda autoridade da 1ª besta na presença da mesma.  Portanto a besta da terra tem a mesma autoridade do sétimo rei enquanto o mesmo está vivo e quando o mesmo morre, a besta da terra pede para que seja feita a imagem da besta pois a besta da terra ainda tem autoridade para isso.

Todavia, quando o sétimo rei morre, é o oitavo rei que passa a ter o poder pleno e como já vimos, o oitavo rei é o responsável pela morte do sétimo rei.

Então como pode a besta da terra ter a mesma autoridade máxima em dois impérios inimigos?

Encontramos uma aparente contradição no raciocínio exposto, pois mesmo com a morte do sétimo rei o seu igual em autoridade no sétimo império "chifre da besta da terra" continua com a mesma autoridade no oitavo reino.

Teria o sétimo e oitavo reino dois líderes cada um?

Onde um fosse o líder religioso e outro o líder político?

Provavelmente sim.

Seja como for, sabemos que após a morte do sétimo rei; o oitavo rei passou a adorar a imagem do sétimo rei, rei este que o oitavo rei matou.

 

Ora, a besta que não é mais "sétimo rei" caminhava para a morte e morreu; e a besta da terra e todo o restante do mundo presenciou que o sétimo rei voltou à vida. 

Então porquê a besta da terra pediu para que se fizesse uma imagem do sétimo rei "besta que não é mais", quando ao invés de usar a imagem poderia usar o próprio sétimo rei que se encontra ressuscitado?

Afinal, se o sétimo rei voltou à vida:  porquê ele não foi utilizado? 

Logo, ele provavelmente não se encontraria mais na superfície da terra "teria sido abduzido".

Afinal foi necessário fazer uma imagem dele, imagem esta que fala e tem fôlego de vida.

Portanto, não é uma imagem qualquer e sim uma pessoa igual ao sétimo rei e com capacidade para matar todos que não o adorassem.

 

Vejamos:

O sétimo rei, morreu, ressuscitou e foi embora e em seu lugar apareceu a imagem da besta.

Porquê João (autor do Apocalipse) escreveu imagem da besta ao invés de besta cuja ferida mortal foi curada ou emergida do abismo?

A Bíblia não mente, daí a imagem da besta não seria a besta emergida do abismo ou a besta ressuscitada e sim uma outra pessoa!

 

OBS.: convém não se esquecer que a besta do Apocalipse representa um homem maligno, porém o anjo disse que a besta que era besta no momento do Apocalipse não é mais besta, daí, porquê não dizer que ela "sétimo rei" é santa "santo mal interpretado".  Daí ele não seria maligno pois era esperado como besta porém o anjo disse que não era mais besta.

Todavia, a besta que era e não é, também é ele, o oitavo rei, procede dos sete e caminha para destruição.

Enfim se o anjo deu a mesma definição para ambos "sétimo e oitavo rei".  Logo porquê não concluir que ambos sejam santos mal interpretados?

(...) Porém haverá uma surpresa.  Pois a besta que não é maligna passará a ser maligna e nesse momento ela será inimiga de Deus.

 

Estejamos agora no momento após a morte do sétimo rei.  Nesse momento o oitavo rei chegou ao poder do oitavo império e o sétimo rei ressuscita.  É nesse período que a besta da terra divulga uma ideologia criando a imagem da besta.  Pois a besta da terra inicia seu discurso conforme relata o Apocalipse citando a palavra "ferida de morte sobreviveu".  Portanto, é após a morte e ressurreição do sétimo rei "que caminhava para a morte" que a besta da terra passa a mandar o mundo adorar a imagem do sétimo rei.

 

O Iníquo:

Em Tessalonicenses capítulo 2 versículos 7 à 12 diz em síntese:

O mistério da iniqüidade já opera e aguarda somente a retirada daquele que o detém... Quando este for retirado então o iníquo se manifestará a quem Jesus matará com o sopro de sua boca...

 

Verifica-se que é necessário a retirada de algo da Terra para que o filho da perdição "iníquo" se manifeste na Terra, ou seja, para que a verdadeira besta maligna se manifeste é necessário que algo saia da Terra.

Isto posto, enquanto este algo ou alguém não for retirado, a representação maligna da besta não se manifestará!!!

Todavia quando o sétimo rei é morto, logo a seguir surge a imagem da besta.

Isto posto, a priori o iníquo é a imagem da besta.  Pois esta imagem só aparece após a retirada da terra daquele que foi ferido de morte e sobreviveu.

Logo, posso supor que o iníquo é um ser que não pertence ao nosso mundo e para que ele possa se manifestar fisicamente em nosso mundo é necessário que uma pessoa semelhante à ele seja abduzida da terra para que ele possa ocupar o lugar desta.

 

Desta forma temos a seguinte estrutura "salvo a Operação do Erro":

O sétimo rei será morto pelo oitavo rei onde o oitavo rei é uma pessoa com a aparência física do sétimo rei. 

 

Para facilitar o entendimento:

1)- sétimo rei = besta que é e não é;

2)- oitavo rei = besta que é e não é;

3)- imagem da besta = o iníquo (após a morte, ressurreição e retirada do sétimo rei, o iníquo se manifesta);

4)- Os dois chifres da besta da terra = possui a mesma autoridade da primeira besta "sétimo rei",  e oitavo rei.

Como a besta da terra possui dois chifres e a besta da terra estará ao lado do sétimo e oitavo rei e ambos são inimigos mortais.  Por isso é de se concluir que os dois chifres da besta da terra são igualmente inimigos mortais entre si, onde um chifre "rei" é aliado ao sétimo rei e o outro chifre aliado ao oitavo rei.

5)- Impérios da besta = cada império (sétimo e oitavo) seria liderado por dois líderes sendo um religioso e outro político (besta do mar e besta da terra);

 

Portanto o oitavo rei deixou que a besta da terra fizesse com que a terra e seus habitantes adorassem a imagem da besta  que ferida de morte sobreviveu "sétimo rei ressuscitado".

Como se o oitavo rei reconhecesse que matara um inocente.

 

Porquê o oitavo rei agiu desta forma?

 

(Ez:28 = profecia contra o rei de Tiro):

Convém relatar o que aproximadamente o sétimo rei disse antes de morrer (Ez:28 = profecia contra o rei de Tiro):

 

Eu sou Deus, no trono de Deus me assento no coração dos povos.  E o oitavo rei lhe responde:  Tu és homem e não é deus pelo poder de quem te mata.

 

Então, após a ressurreição do sétimo rei: o oitavo rei reconhece que o sétimo rei não é o rei de Tiro "o princípio de satanás = querubim Luz e Fé" e sim o santo o qual João (escritor do Apocalipse) se admirou.

 

Complemento:

A análise de todos os dados expostos até o momento me fez concluir que o oitavo rei não estava familiarizado à doutrina do sétimo rei "Máquina do Tempo" e por esse motivo o matou.

Todavia o oitavo rei tinha a aparência física do sétimo rei e a doutrina do sétimo rei é a Máquina do Tempo, e o oitavo rei repudiava esta doutrina e assim o oitavo rei não deveria gostar da idéia de algumas pessoas pensarem que ele seja o sétimo rei regredido no tempo.  Mas, ele deveria se perguntar:  porquê eu tenho a semelhança do sétimo rei?

Quem seria esse oitavo rei?

Responder esta pergunta agora em profundidade, só serviria para inserir conhecimento desnecessário no momento.

Mas a priori posso antecipar que o oitavo rei terá sua origem no Líbano, pois é de lá que sairá o filho de Dã.

Notifico que tanto o sétimo quanto o oitavo rei, tem sua origem na época do Apocalipse devido ao mistério da iniqüidade visto que o iníquo é a imagem.  E a imagem aparece após a retirada daquele que o detém.  Enquanto que o sétimo e o oitavo rei se manifestam sem que nada tenha sido retirado da Terra.

Obs.: há operação do erro no parágrafo acima.  Pois o iníquo pode se manifestar caso o sétimo ou o oitavo rei tenham sido retirados no início do Apocalipse.

O Arrebatamento pré-tribulacionista é uma teoria humana.  Apesar de muitos protestantes acreditarem que seja divina, pois isto é cômodo para eles visto que não terão a fé testada, principalmente quando se trata do reconhecer quem são as testemunhas mártires.  Enfim, os protestantes tentam se ausentar desta responsabilidade o que é um crime, pois os induzem a fazer parte do assassinato das mesmas.

 

As testemunhas Mártires e Operação do Erro:

Vimos que o sétimo rei não agiu sozinho, pois ele como besta do mar, possuía a seu lado um chifre da besta da terra.  Portanto, eles eram em duas pessoas.  Uma será o papa e a outra derivada da doutrina da Máquina do Tempo.

E essas duas pessoas, morrerão.

O sétimo rei, terá a ferida mortal curada.  Porém, é dito que a besta da terra exerce toda autoridade da primeira besta em sua presença.  Logo eles são iguais em poder.  Daí se um teve a ferida mortal curada, o outro também terá.

As duas Testemunhas Mártires (Ap:11) seriam uma besta do mar e uma besta da terra?

Isto é o que cito como sendo Operação do erro.

 

OPERAÇÃO DO ERRO = Tessalonicenses capítulo 2:

A metodologia empregada na decodificação da Bíblia, baseia-se na operação do erro.

Pois apenas o Espírito pode mostrar a verdade ao mundo, ainda que conheça todo desenrolar da História, como será exposto nesse livrinho.

Enfim, as Testemunhas Mártires do Apocalipse serão vistas pôr alguns como a besta do mar e a besta da terra e vice-versa. Caberá ao Espírito o discernimento.

 

A GRANDE BABILÔNIA: A contra Babilônia é Maria.

Pois Babilônia é a prostituta (Ap.:17), e Maria é a santa (Ap.:12). E é aí que se manifesta a operação do erro. Pois o que afirmamos em determinado momento ser Babilônia, poderemos estar errando na interpretação, pois a "mulher" pode ser Maria. E assim, pecaremos.

Esta duplicidade existe em todo Apocalipse. Basta que vejamos que uma das cabeças da besta será ferida de morte e sobreviverá (Ap.:13;3). Tal como as testemunhas mártires que morrerão e ressuscitarão (Ap.:11;11).

A besta manda fogo do céu, e as testemunhas também!

 

A grande Babilônia, respeita a seguinte ordem cronológica e interpretativa: Pôr cinco meses o seu futuro conquistador a tortura.

Em um ano de 360 ou 365 dias equivale ao período em que seu futuro conquistador inicia a entrada em seu território, e ao fim desse período a domina, e a tem pôr uma hora e pôr 15 dias.

Após isso, os 10 chifres e a besta a odeia, e a destrói.

 

ENTENDENDO O APOCALIPSE:

AS DUAS QUEDAS DE BABILÔNIA (Ap.:18):

Um anjo desce do céu com grande autoridade e exclama dizendo que Babilônia sofreu duas quedas em uma só hora "Caiu, Caiu a Grande Babilônia"

Uma hora equivale ao intervalo de tempo entre 1 hora e 119 minutos e também entre 15 dias e 29 dias (pois quando Bíblia se refere à um dia, pode se entender como sendo um ano).

 

Melhor exemplificando: Quando as Torres Gêmeas caíram; na mesma hora relacionei-as às duas quedas de Babilônia e calculei o tempo que as duas Torres levaram para cair e o tempo foi inferior à 119 minutos então lancei essa proporção onde um dia equivalha a um ano e para surpresa, tal dia caiu exatamente no dia do início da guerra dos EUA contra o Afeganistão onde o terrorista Bin Laden que patrocinou as duas Quedas se encontrava.

 

O anjo ainda disse que o período de tormento que Babilônia teria, seria igual ao seu período de Glória e Luxúria e o anjo afirma que o período de tormento sofrido por Babilônia é de um dia.

Portanto Babilônia terá um ano de Glória e Luxúria e depois um ano de queda.

 

OS DEZ CHIFRES: Chifre, é mesmo que rei, líder; e na atualidade, é visto como presidente.

 

OS DIADEMAS: Os reis são representados como chifre, e reino é representado como coroa.

Ora, se o reino equivale a coroa na cabeça do rei.

Como seria representado um chifre que possui coroa?

A conclusão é óbvia: Um chifre com reino, é um chifre com diadema! Portanto, o diadema retratado em Apocalipse, representa coroa, logo reino!

 

OS DEZ CHIFRES SEM DIADEMA "são 10 chifres SEM REINO".

 

No evento Babilônia, como instituição política, os dez chifres não possuem reino.

Portanto, os 10 chifres eram presidentes de 10 países. Contudo, pôr algum motivo, eles perderam seus países.

É dito no capítulo 17 do Apocalipse, que esses 10 presidentes deram a autoridade sobre seus países a besta.

E a partir do momento em que os 10 presidentes foram depostos, é que os 10 chifres odiarão prostituta.

E com a ajuda da besta conseguirá reconquistar a prostituta depois de 15 dias que ela esteve dominada pôr outro.

Enfim, embora os 10 presidentes estejam depostos, e automaticamente sem exército, existe um terceiro Homem, que é a besta que ajuda aos 10 chifres a reconquistar seus países.

Sendo que o primeiro país reconquistado, é Babilônia "Grã-Bretanha, Vaticano?" Depois, virão os outros nove ou dez?

Se compreendêssemos Babilônia como país, ela seria um dos 10 reinos. Entretanto Babilônia é a mulher da Besta que é e não é, mas que aparecerá.

 

Por isso, pode ser considerado, como o 11º país.

Assim, é ela e mais 10 países.

 

Entretanto, as múltiplas interpretações do Apocalipse, para que dêem origem a operação do erro; várias Babilônias são fabricadas. Pois temos:

Grã-Bretanha, Vaticano, Iraque, Tibete, Índia, Cuba, Japão, Portugal, Dinamarca, Alemanha, Rússia, Irlanda, Iugoslávia e toda área correspondente ao antigo Império Romano...

 

Enfim, muitos países do mundo possuem características de Babilônia. E ao mesmo tempo, características de Maria.

 

OS DEZ CHIFRES COM DIADEMA: No capítulo 13 de Apocalipse, os 10 chifres já se encontram com 10 diademas, portanto, já recuperaram seus países. E nessa configuração que eles lutarão contra o Cordeiro Jesus Cristo.

 

ESTRELAS: Arbitrariamente para abreviar, digo que estrelas em interpretação mais simples do Apocalipse, equivale a países. E dentro deste ponto de vista, a estrela que cai do céu "Satanás", é a Síria. Pois a Síria é o único país que possui o nome de estrela, que é Sírius da constelação Cão Maior, localizada a 8,8 anos-luz da Terra, também conhecida como Alfa do Cão. Daí a expressão criada pelos romanos "dias de cão", que responsabilizavam essa estrela pelo calor do verão.

 

Enfim, é a Síria que Satanás ou o abominável da desolação se manifestará quando chegar o momento.

 

Ou seja, a Síria durante todo Apocalipse sempre estará relacionada a Satanás, tal como o Líbano, pois é da tribo de Dã, que surgirá aquele que dará origem ao iníquo.  Este local, corresponde a área geográfica do Líbano.

Porém convém dizer, que isto não representa a condenação da Síria como país, mas sim, aquele que nela se manifestará.

 

CHIFRE: Numa interpretação negativa: é a representação apocalíptica para presidente de país aliado a besta do mar, que se localiza dentro da Área equivalente ao antigo Império Romano.

 

CABEÇA: É a representação apocalíptica dada a um presidente "líder", aliado a besta do mar. Mas o país desta cabeça pode se localizar fora da área equivalente ao antigo Império Romano.

 

CABELO: É a representação profética "apocalíptica", que assemelha-se a coroa. Sendo que a coroa pode ser retirada da cabeça. Isto é, o país pode ser retirado do domínio de seu rei "cabeça".

Já o cabelo não é retirado pois nasce na cabeça. E isto significa que o cabelo é um país que sempre está ligado a seu rei "presidente". Ou seja, o rei só perde autoridade sobre seu país, quando morre.

 

AS SETE CABEÇAS: são vistas pôr alguns, como os sete impérios mundiais, sendo que o sexto é o Império Romano, e o sétimo ainda não veio, e quando vier durará pouco.

O oitavo império mundial, procede de um dos sete, e caminha para destruição.

Essa interpretação é verídica.

Mas, não é a única.

Todo o Apocalipse possui diversas interpretações e todas elas se consumarão "Operação do Erro".

Entre tantas, também existe essa: As sete cabeças, são sete presidentes atuais.

As sete cabeças são sete reis onde a grande prostituta está assentada.

Chifre e rei, são as mesmas coisas, porém, além dos 10 chifres, existem outros sete, cuja importância difere, que são os reis bestas.

Ou seja, os reis que põem diademas nos outros 10 chifres. Que são os sete reis poderosos.

Entretanto, não são tão poderosos assim, pois destes 7 reis, cinco terão caído "perdido diadema" [dominados], e um existirá, mas o sétimo ainda não terá chegado (Ap.:17;10).

Este enigma é colocado sobre a prostituta, no momento em que os 10 reis se encontram sem reino. Sendo que cinco cabeças terão sido dominadas uma estará livre e a outra ainda não faz parte da "guerra".

 

GUERRA: a forma mais elementar de 10 presidentes perderem seus países, onde tais são dominados.

 

OBS.: os esquemas proféticos apresentados, são corretos, mas não formam História. Pois alguns não se complementam. Já que os expus sem concordá-los a uma interpretação do Apocalipse. Uma vez que tais esquemas provêem de Apocalipse diferentes, e por isso eles colidem se forem expostos como História, visto que uma interpretação tende a ser inimiga da outra.

 

Agi dessa forma, para apresentar as principais bases de interpretação de Apocalipses.  A aqueles que quiserem entender a metodologia de decodificação empregada nesse Livro, que como disse, apóia-se na Operação do Erro no qual as profecias Bíblicas possuem diversas interpretações, onde todas se cumprirão:

Mas racionalmente não se saberá qual delas é a interpretação santa, já que a identificação da interpretação santa, não é obra da razão e sim do Espírito.

 

Poderia ter exposto a decodificação completa do Apocalipse segundo cada interpretação, e o leitor escolheria a que melhor condissesse com seu senso de Justiça.

Contudo preferi expor a junção de todas as interpretações e assim formando a História da Última Semana de Daniel. E, pôr conseguinte, eu mostrarei onde está a santidade. E se crê que provenho de Deus, concordará comigo, caso contrário, escolherá outro caminho.

Todavia alerto quanto a Operação do Erro, que se manifestará em mim, quando o iníquo for acionado.

A mais, creio que ainda não é o momento de fazer maiores revelações. Não obstante, esse mistério relaciona-se aos personagens sétimo e oitavo rei.

 

NOME DA BESTA QUE É E NÃO É:

A besta que era mas agora não é mais "santo mal interpretado" possuiria qual nome?

Inicialmente a besta tem nome de blasfêmia e blasfêmia é dar ao iníquo o nome de santo.  Portanto o nome do iníquo "besta" é o mesmo nome do santo mal interpretado.

 

A besta carrega a grande prostituta que está assentada sobre sete montanhas. 

As sete montanhas, são também sete reis e também são definidas como sete cabeças.  Logo a besta pode ser interpretada como: Montanha, Cabeça ou Rei.

Como três serão os personagens, para um darei o nome de Montanha, para o segundo darei o nome de Cabeça e para o terceiro darei o nome de Cabeça na Montanha.

 

Cabeça na Montanha será o personagem base do Apocalipse.

Apesar de eu não acreditar em Arrebatamento Pré-tribulacionista, porém haverá mistério quanto a permanência do Cabeça na Montanha na última semana de Daniel (7 anos do Apocalipse) e isto se deve também à Operação do Erro descrita pelo apóstolo Paulo e daí, alguns que acreditam no arrebatamento pré-tribulacionista poderão acreditar que o Cabeça na Montanha foi arrebatado com a Igreja Cristã e por isso qualquer um que se disser ser ele, poderá estar mentindo.

 

Outros que não acreditarem em Arrebatamento pré-tribulacionista poderão admitir que o Cabeça na Montanha desempenhará toda a atividade profética destinada àquele que tem sua forma física provavelmente desempenhando a função para ser o sétimo rei onde a besta da terra é o papa.

 

Como teremos no Apocalipse a possibilidade de haverem três pessoas semelhantes fisicamente, sendo o Cabeça na Montanha e outras duas pessoas.  Darei às duas outras pessoas dois nomes fictícios.

Uma denominá-la-ei cabeça em Hebráico = Ross, podendo ser o Cabeça na Montanha que não foi retirado da Terra antes do início do Apocalipse (arrebatamento pré-tribulacionista);  Assim sendo, quando eu me referir à Ross, será como eu estivesse me referindo ao Cabeça na Montanha.

 

Ao segundo personagem, darei o nome de Montanha em Alemão = Berg, e este personagem poderá ser visto como sendo como sendo o oitavo rei.

Ao terceiro personagem darei o nome de Ponterose sendo o homem semelhante ao Cabeça na  Montanha.

Devido a Operação do Erro, não se poderá saber pela razão quem é Ponterose e quem é Ross ou quem é Berg. Pois o Ponterose uma vez tomado por espíritos imundos poderá confundir qualquer um.

 

À nível de início de exposição podemos ver a imagem da besta como sendo Ponterose, mas Ponterose poderá se passar pelo oitavo rei "Berg" ou poderá se passar pelo sétimo rei "Ross".

 

EQUAÇÃO PROFÉTICA:

Quero ainda notificar que a oitava cabeça também é o 11º chifre.  Esta oitava cabeça só aparece quando os 10 chifres estão existindo então surge o 11º chifre e este em sua ascensão derruba três chifres e se torna a oitava cabeça.  Para melhor entendimento cito o seguinte exemplo:

Antes deste acontecimento, os dez chifres entregaram seu poder à sétima cabeça por uma hora "15 dias" período no qual a sétima cabeça teve o seu império estruturado.  Deste momento em diante, o 11º chifre surge e derruba 3 chifres e um desses chifres é a sétima cabeça.

 

Obs:  a equação profética citada anteriormente servirá para Rússia na atualidade, vejas:

 

RESTAURAÇÃO DA URSS:

A Operação do Erro descrita pelo apóstolo Paulo, significa entre outras coisas que aquilo que aparenta ser santo, pode ser demoníaco e vice versa e apenas o Espírito pode nos guiar a verdade.

A profecia relativa à besta e Babilônia se ajustam à vários países e pessoas e vou ajustá-las à Rússia nesse momento, para tentar prever o futuro!
 

A Rússia após a Revolução Comunista teve os seguintes líderes que lideraram a Império URSS criada em Dezembro de 1922 (7 cabeças):
 

1º cabeça- Lenin

2º cabeça- Stalin,

3º cabeça- Kruchev

4º cabeça- Brejenev

5º cabeça- Iuri Andropov

6º cabeça- Konstantin Tchernenko

7º cabeça- GORBACHEV (em 25 de Agosto de 1991, Gorbachev sofre um golpe de Estado em favor de Gennady Yenayev mas três dias depois Gorbachev é recolocado no poder), (em 25/12/1991 ele decreta o fim a URSS e renuncia simultaneamente passando os despojos para Boris Yeltsin.)

Isto posto, por 3 dias Gennady Yenayev se tornou a Oitava Cabeça, mas a sétima teve sua ferida mortal curada simbolizada por seu retorno ao poder.   Daí Gorbachev se fez a Nona Cabeça.

A Décima Cabeça não poderia ser Boris Yeltsin, pois a URSS não existia mais e assim um período intermediário existirá entre a Nona Cabeça e a Décima Cabeça.  Pois a 10ª Cabeça será responsável pela reconstrução de um império semelhante ao da URSS. 

Enfim, a 10ª cabeça existirá quando a mesma iniciar a reconstrução desse império

O período intermediário entre a cabeça que ferida de morte sobreviveu (Gorbachev resposto ao poder) e o aparecimento da 10ª cabeça, denominá-lo-ei de período dos chifres democráticos.

 

Isto posto, quantos presidentes democráticos existiriam na Rússia até que venha o décimo rei (10ª cabeça) e restaure um império semelhante à URSS.

Vejamos:

A 8ª cabeça é o 11º chifre, assim como a 7ª cabeça é o 10º chifre.

A Nona Cabeça corresponde ao período intermediário onde o 10º chifre ao subir, derruba três chifres e 3 chifres equivalem à Nona Cabeça.

Assim, a nona cabeça é representada por 3 chifres e quando a 10ª cabeça surgir, os três deixarão de existir.

Isto posto, a cabeça Gorbachev (7ª cabeça) possui 3 chifres (9ª cabeça), e um desses chifres será o 10º chifre.

Sabemos que a 7ª cabeça também é 10º chifre, logo o chifre que restaurará o império semelhante à URSS procede de Gorbachev.

Os atuais chifres procedentes de Gorbachev são "três":
 

Boris Yeltsin (2 mandatos democráticos)

Putin (2 mandatos democráticos)

Medvdev (1 mandato democrático)

Putin (mandato democrático atual)

Um desses três chifres será a 10ª cabeça.  Vemos que Putin em seu atual mandato democrático já se apresenta como 4º chifre, quando na verdade só cabem três chifres, logo o mandato atual de Putin já o faz ser a 10ª cabeça.  Logo ele iniciará a restauração do Império semelhante a URSS.

Isto já se inicio com a retomada da Criméia (profecia cumprida!).

 

Putin representa o 6º mandato democrático, onde análogamente, cinco já caíram e o mandato de Putin existe, o sétimo eleito virá e durará pouco e depois virá o oitavo.

 Enfim, Putin será a 10ª cabeça e após ele virá a 11ª cabeça, sendo que 11ª deriva da 8ª cabeça que é Gennady Yenayev, e a linha política deste é o socialismo da URSS.

Isto posto, o sétimo mandato democrático da Rússia será vencido por um comunista que o denominarei de Lenine e aí a democracia Russa terá tido cinco líderes (Yeltsin, Putin, Medvedev, Putin, "Lenine").

O suposto Lenine será o sétimo mandato e este mandato durará pouco e no fim desta pouca duração ele será a 11ª cabeça que ao subir derrubará 3 chifres, sendo Yeltsin, Putin e Medvedev e a queda desses chifres representará a queda de cinco chifres, sendo:

Yeltsin, Putin, Medvedev, Putin e Lenine.  Que teriam sido os cinco mandatos presidenciais eleitos democraticamente na Rússia.

Isto posto, Lenine (no sétimo mandato democrático) provavelmente após uma tentativa de golpe (pois esse sétimo mandato durará pouco, logo tal mandato será interrompido bruscamente), porém a ferida mortal é curada.  Então, após a tentativa de golpe, Lenine acabará com a democracia Russa e se o fará novo Ditador Russo, representando o oitavo mandato que seria o primeiro de uma nova linha sucessória.

 

Assim, o sucessor de Putin, "Lenine" será o responsável pelo início da mudança na Rússia e em seu "primeiro mandato = sétimo mandato democrático" ele sofrerá uma tentativa de golpe, mas não cairá e após isso Lenine acabará com a democracia Russa.

Segunda essa análise, Putin não será destituído do cargo.  Portanto ele ficará no poder até o fim de seu mandato em 2018 e esse é o sexto mandato, o mandato que existe!!!

obs.:Na suposta morte de Putin, o vice assumiria e isto representaria um novo líder.  Mas, o sucessor de Putin será eleito.  Portanto Putin viverá até o fim de seu mandato.

Isto posto, Lenine só chegaria ao poder na Rússia em maio de 2018.

 

No capítulo 8 deste Livro começará a ser mencionada a existência de Lenine e isto ocorrerá por volta do dia 900, daí, o dia 900 será aproximadamente em maio de 2018, assim, isto significa que o Apocalipse caso ocorra em nossa geração se iniciaria por volta de Novembro de 2015.

 

OBSERVAÇÕES:

Muitas serão e são as interpretações quanto as sete cabeças, os 10 chifres, os dois chifres da besta da Terra e a Grande Babilônia. A Bíblia permite essa possibilidade, para que seja manifesta a operação do erro: E através dessa operação que se decodifica a História.

Pois a história que relatarei nesse livro, é santificando biblicamente todas as ideologias, sejam capitalista, comunistas, budistas, católicas, protestantes, etc...

Pôr toda História da Humanidade, para que o desfeche se dê na batalha que antecede o Juízo Final, que será por volta de 1000 anos depois do Apocalipse.

Para que durante o Apocalipse, quem optar pelo erro, continuará nele até o dia que Deus permitir, pois só através de Deus, que se poderá encontrar a verdade.

 

Aplicando a fórmula sobre o Vaticano:

 

 

Curiosidade sobre o Vaticano:

Sempre soube que a sétima cabeça e a oitava cabeça são iguais.

Isto, "num" Apocalipse da Máquina do Tempo é interpretado como se o oitavo rei tivesse a aparência física do sétimo rei.

Irei analisar isto sob o prisma do Vaticano no atual pontificado que por algumas análises proféticas, se conclui que Francisco seja o Oitavo Rei a partir da fundação do Vaticano em 1929 na época de Mussoline, onde o Vaticano é a Grande Babilônia onde a partir daquela data (1929), os papas receberam o título de Reis.

Então lançarei a fórmula profética sobre o Vaticano:
 

Bento XVI (sétimo rei) Francisco (oitavo rei).
 

Sempre soube "desde quando decodifiquei o Apocalipse" que o mistério do número 666 representam três pessoas iguais, sejam por título, nome, aparência física ou outra grande semelhança.

E eles são: sétimo rei, oitavo rei e imagem do sétimo rei que ferida de morte sobreviveu.

No Apocalipse da Máquina do Tempo, a imagem do sétimo rei aparece quando o sétimo rei é ferido de morte e sobrevive.  Sendo que essa ferida mortal é patrocinada pelo oitavo rei.

Isto posto, o que faz Bento XVI (sétimo rei) ser igual a Francisco (oitavo rei) e diferente de seus seis antecessores?

Simples:

O fato de Bento XVI e Francisco serem papas estarem vivos!!! Pois um papa só existe após a morte do outro, a menos que haja anti-papa, o que não é o caso.  Pois, no caso atual, não há anti-papa pois houve renúncia e assim temos dois papas vivos e é por isso que eles são iguais profeticamente.

 

Continuando na analogia, Francisco (oitavo rei) incutiu uma ferida mortal no título papal de Bento XVI (sétimo rei).  Logo Bento XVI deixou de ser papa, porém imediatamente após, a imagem papal de Bento XVI reaparece sob o título de Papa emérito.

 

Vimos na analogia que o sétimo e oitavo rei são a mesma coisa por estarem VIVOS e se a imagem do sétimo rei é semelhante ao sétimo e oitavo rei, logo a imagem do sétimo rei é uma imagem é viva.

Mas a imagem não é rei "mas se comporta como rei".

Enfim, não é papa mas é bastante parecido. Isto posto, a imagem de Bento XVI é um título semelhante ao título papal, logo:  PAPA EMÉRITO.

 

Obs.:  o entendimento da decodificação acima, me faz concluir que a futura Revolução na Rússia ocorrerá com Michail Gorbachev ainda vivo, pois é necessário que a sétima cabeça (Gorbachev) exista no momento em que a oitava cabeça (Restaurador da URSS em segundo mandato democrático) assuma.

 

Os últimos parágrafos me gera a impressão de que o Apocalipse está para se cumprir nos próximos dias, meses ou poucos anos.

Não obstante, a consumação das previsões dos últimos parágrafos não são necessariamente obrigatórias, e nem tão pouco significam o início do Apocalipse pois o Apocalipse só se cumprirá se este livrinho for compreendido pela humanidade em tempo hábil.  Não o sendo, certamente todas as previsões acima se cumprindo ou não, não terá a menor importância em relação ao início do Apocalipse.

 

NUMEROLOGIA PROFÉTICA:

As datas e acontecimentos que serão expressos nesse Livro, apóiam-se exclusivamente nas profecias bíblicas, e aqui mostrarei os números mais significativos.

Um dia após uma data em mistério pode equivaler: um dia; um ano; 360 anos ou 1000 anos.

Um Hora: equivale a 15 dias ou uma hora textual.

Meia Hora: 7,5 dias, ou meia hora textual.

2300 dias "ou ano", representa o período em que o exército israelita é entregue a guerra...

1290 dias "ou ano", é o período que significa o total domínio da besta.

1335 dias "ou ano", é o período que se espera. Pois ao fim, algo surpreendente ocorre.

1260 dias "ou ano", é o período que representa a divisão dos sete anos da Última Semana de Daniel.

70 Semanas ou 490 anos: é o período diretamente relacionado ao Messias.

Os números: 2300, 1335, 1290 e 1260, são divisíveis pôr 70, e sobre essa divisão, pode ser aplicada o conteúdo filosófico "profético" das Setenta Semanas de Daniel "seja a nível cristão ou anticristão", e com um chamamento especial para Última Semana.

Exemplo:

Dê Alexandre o Grande "quando profanou o santuário": até a reconquista de Jerusalém pôr parte dos Judeus em Junho de 1967, passou-se 2300 anos.

Da morte de Maomé até a reconquista de Jerusalém pelos Judeus em Junho de 1967, passou-se 1335 anos.

 

1335 anos sendo constituído de 70 partes (setenta semanas), a 69ª parte, equivale ao dia preciso em que Israel foi fundado, ou seja, em 15 de Maio de 1948.

 

2300 anos sendo constituído de 70 partes; a 69ª parte, equivale ao dia exato da ascensão do maior inimigo dos Judeus que a História registra, ou seja: Adolf Hitler em Agosto de 1934 se declara Führer da Alemanha, anexando a chancelaria a presidência.

 

 

capítulo anterior   próximo capítulo

Desenvolvido por PEPE PROPAGANDA